Entrevista: Cristiane Saavedra

8 de janeiro de 2016
Primeira entrevista do blog!! 
Todos nós temos a curiosidade em saber detalhes sobre a vida e inspirações de um autor. Imaginem saber detalhes sobre como a autora Kimberly Knight escreveu a série de sucesso B&S?
Mas, para os livros chegarem perfeitos em nossas mãos, há muito trabalho envolvido. E, dentro deste trabalho, podemos evidenciar o processo de tradução.
Hoje trazemos para você um pouco de como é esse processo, as glórias e os obstáculos da profissão, através da entrevista com a linda, fofa, e mega/ultra competente, Cristiane Saavedra.


Ficha Técnica:
Nome: Cristiane Saavedra
Profissão: Administradora. Atualmente trabalha como tradutora literária, preparadora de texto e diagramadora digital.
Idiomas Traduzidos: Inglês / Português



Bia: Cris, conte um pouquinho para nós como foi sua introdução à profissão de tradutora de livros.
Cris: Na verdade, trabalho como tradutora literária há dois anos, quando fui convidada pelas minhas amigas da Editora Charme para embarcar nesse desafio, o qual abracei na hora e serei eternamente grata. Como falei anteriormente, sou formada em administração de empresas com habilitação em comércio exterior, mas confesso que nunca exerci a profissão. Trabalhei oito anos em banco, casei e fiquei quinze afastada do mercado de trabalho.

Bia: Enquanto administradora você tem uma profissão regulamentada e com reconhecimento. Apesar de vários trâmites existentes para a regulamentação (corrija-me caso esteja errada), a profissão de Tradutor no Brasil ainda não é regulamentada. Como você enxerga esse quadro? Em algum momento tal situação te desmotiva?
Cris: É lamentável e até um pouco desencorajador. Como eu falei, a oportunidade caiu no meu colo e agradeço a Deus todos os dias por isso. Mas, sim, conheço algumas tradutoras que são formadas na área, com pós-graduação e diversos cursos e não são reconhecidas como deveriam.

Bia: Sabe-se que para ser um grande tradutor é preciso muito estudo e dedicação. E ainda é necessário estar sempre focado em possíveis mudanças de linguagem e ortografia, enfim, se manter sempre atualizado. Você tem algum ritual de estudo?
Cris: Ritual eu não tenho. Mas estudo muito. Normalmente reservo um tempo para estudar, ler e pesquisar... E também no meio de uma tradução mais trabalhosa, quando a mente cansa e não consigo mais raciocinar direito (rs) paro tudo e leio. E acredite, às vezes, no meio da leitura, a solução para aquela minha dúvida que estava me deixando de cabeça quente, aparece como num passe de mágica.

Bia: O processo de tradução é muito exigente, a meu ver. Quais as dificuldades que você encontra nessa profissão?
Cris: É trabalhoso sim, mas, muito gratificante. Sinceramente, até agora, não encontrei dificuldade alguma na profissão. Como eu falei, ela caiu no meu colo. E agarro com unhas e dentes, todas as oportunidades que me são dadas.

Bia: Encontramos muitas traduções sem contexto, inclusive títulos que não são coerentes com o enredo proposto no livro. Qual o seu processo para a tradução do título em si?
Cris: Os títulos dos livros são sempre escolhidos pela Editora. O tradutor não tem poder algum sobre ele. A única coisa que podemos fazer, é sugerir. Mas a decisão final é sempre da Editora.

Bia: Meu inglês é o básico dos básicos, quando estudante eu sentia muita dificuldade nas traduções de gírias. E confesso que me deparo com muitos livros onde, as que são traduzidas, ficam meio que sem sentido; e algumas ainda apelativas para o enredo. Qual o cuidado que você tem ao traduzir tais gírias? Como é esse processo?
Cris: As gírias são realmente um grande desafio na tradução. A maioria é totalmente diferente da nossa, e, às vezes, até inexistente. Normalmente, a tradução não faz sentido algum na nossa língua. Então, cabe ao tradutor, adaptar sem apelar e perder o contexto da história. Eu, particularmente, faço minhas traduções da forma mais fiel possível, adaptando-as a nossa língua e sempre buscando clareza e fluidez. Além das gírias, alguns temas também dão mais trabalho. Se traduzo um livro de luta ou pôquer, por exemplo, tenho que estudar sobre o assunto e os termos para poder traduzir e adaptar corretamente. Com isso, ao final da tradução me torno quase expert no assunto. rs
Como eu costumo dizer, tradução é aprendizado constante.

Bia: Não é segredo para ninguém esse fato, mas temos muitos livros ainda não lançados no Brasil, que são traduzidos e dispostos em sites e redes sociais por tradutores anônimos. Já li alguns, me deparei com traduções péssimas outras ótimas. Você acredita que esse trabalho digamos irregular, uma vez que a disposição desse material é totalmente sem direitos autorais, pode atrapalhar o processo de tradução quando o mesmo chega a ser publicado corretamente?
Cris: Para mim, como tradutora, não faz a menor diferença de quantas versões existem de um determinado livro. Farei o meu trabalho da melhor forma possível.

Bia: Já recebeu alguma crítica negativa de algum livro traduzido? Se sim, como lidou?
Cris: Sinceramente, não. Mas sou aberta a qualquer tipo de crítica que seja construtiva. Eu tenho sede de aprendizado e sou cem por cento autodidata. Então, qualquer ajuda, mesmo oriunda de crítica, é bem-vinda. Eu costumo criar alerta no google dos livros que traduzo. Gosto de ler as resenhas, mas não para saber opinião sobre a história. É que alguns blogs postam o que acharam da tradução e da adaptação do livro e, é isso o que importa pra mim.

Bia: Você me disse que ama o meio literário. Compreendo perfeitamente, pois também sou apaixonada por ele rs. Até que ponto o amor à literatura influencia sua vida pessoal e profissional?
Cris: Influenciou e ainda influencia cem por cento. Foi esse amor que me tornou uma profissional no mercado editorial. E quando não estou traduzindo ou lendo, estou aprendendo. Ler, é uma constante na minha vida. Hoje, não consigo me ver trabalhando com qualquer outra coisa que não seja livro. 




Não sei quanto a vocês, mas amei saber um pouquinho mais a respeito dessa profissão. 

Comentem!! Deixem sua opinião.

Quer entrar em contato com Cris? Não esqueçam que, além de tradutora ela também é preparadora de textos e diagramadora digital. Envie um e-mail para cris.saavedra.cesar@gmail.com



Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.
24 Comentários | BLOGGER
Comentários | FACEBOOK

24 comentários:

  1. Oiiiiii.
    Nossa e muito bom quando conhecemos um pouco mais sobre os autores que gostamos ne? Eu passo por isso com a Camila Moreira. No dia que eu a conhecido quase surtei. Entrevista dela e o que mais tenho. Mas e muito bom.
    Parabéns pelo trabalho.

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Karine! A Cris não é autora, ela é tradutora de livros. Quis diferenciar trazendo outros profissionais envolvidos com a publicação de tantos livros que amamos.

      Eliminar
  2. Achei muito legal o foco na profissão dela de tradutora e como ela embarcou nisso. É visível que ela gosta muito do que faz!
    Parabéns pela entrevista ficou muito boa.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Helana!! Fico feliz que tenha gostado.
      Beeijos

      Eliminar
  3. Queria agradecer o Blog pelo convite.
    Fico feliz que tenha conseguido esclarecer um pouquinho da complexidade que é uma tradução.
    Bia, obrigada mais uma vez. Por tudo!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cris, eu não canso em te agradecer pela confiança em expor um pouquinho de seu trabalho pra nós. Obrigada mesmo, ficou incrível.
      Beijos

      Eliminar
  4. Olá
    Realmente essa é uma profissão bem desvalorizada. Mas olhando por outros olhos, vemos que a literatura nascional deu uma lamentada bem significativa o que não é nada mau. Adorei a sua entrevista. Vê se consegue uma entrevista com um(a) capista
    Abçs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Manoel!
      Pode deixar, em breve atenderemos seu pedido ♥
      Beijos

      Eliminar
  5. Olá,
    Adoro entrevistas de escritores, sempre sabemos um pouco mais!!!
    O trabalho da Cristine tem que ter bastante atenção, para traduzir tudo certinho...
    Parabéns
    beijos
    www.conchegodasletras.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  6. Oii!!

    Muito legal a entrevista! Eu particularmente amo ler e fazer-las! Não conhecia muito da profissão e minha tia é, olha que ridículo da minha parte.
    Nunca peguei livro com erro de tradução, só ortográfico mesmo, e fiquei feliz em saber que o erro dos títulos é da editora e não dos tradutores hahahaha.

    Traga mais entrevistas!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Ana!! Eu tb adoro entrevistas, tanto ler qto fazer, assim como vc. Eu tb não sabia que a responsabilidade do título era da Editora, bem interessante né?
      Beeijos, e obrigada

      Eliminar
  7. Olá!

    Parabéns pela entrevista! Nunca tinha lido nada sobre Traduções, e gostei de ver esse ponto de vista. Pra mim, quem traduzia o título era a editora. É assim na Charme, mas será que é assim nas outras?? Espero que traga mais entrevistas!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Kamila!! Pode esperar, em breve mais entrevistas. Fico feliz que tenha gostado.
      Beeijos

      Eliminar
  8. Oi Bianca. Tudo bem?

    Ainda não fiz nenhuma entrevista no meu blog, apesar de adorar ler entrevistas e achar que é uma ótima oportunidade de aproximar do entrevistado. A sua entrevista mesmo eu gostei demais, principalmente porque conheci um pouco mais sobre a Cris.

    Bjos

    http://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Kênia! Eu gosto mto de ler e de entrevistar. Como leitora de seu blog, acho que você deve fazer sim entrevistas por lá.
      Beeijos

      Eliminar
  9. Oie.
    Achei muito legal esse diferencial de entrevista. Normalmente encontramos esse tipo de postagem com autores, mas essa tradutora chamou mesmo a atenção.
    E visível que ela realmente gosta do que faz.
    Parabéns pela postagem, foi uma ideia incrível.

    Beijinhos
    http://casinhadaliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Rachel!! Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado. Vi que consegui atingir meu objetivo, queria algo diferente mesmo rsrs.
      Beeijos

      Eliminar
  10. Oie
    vi o pessoal elogiando os livros da autora, devem ser bem legais para amantes do gênero, a entrevista ficou ótima

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Catharina! A Cris não é autora, ela é tradutora.

      Eliminar
  11. Olá Bia,

    Que delicia de post, amo quando os blogueiros entrevista algum autor, da para conhecer tanto do trabalho dele e um pouco mais dos livros que já amamos.

    http://www.coisasdemineira.com/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Letícia!! A Cris é tradutora, não autora.

      Eliminar
  12. Oie!!!
    Puxa que resenha mais incrível, ainda não tive a chance de ler nenhum dos livros da autora. Mas tenho muita vontade por que as premissas de todos me chamam atenção, amo romances <3
    Adorei conhecer mais um pouquinho sobre a Cris;
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Thais! A entrevistada é a tradutora Cris, não autora.

      Eliminar

 
© Lua literária - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo